O Prazer de Ser Voluntário 1ª parte — O que significa ser voluntário?

     

 

Transcrição em Português [PDF 185kB].

Por Mimshach Obioha, bolsista do programa Mandela Washington 2016, e Celestina Obiekea, participante do Centro de Liderança Regional da Yali na África Ocidental-Acra.

O voluntariado é o ato de prestar um serviço desinteressado em favor de uma causa, muitas vezes de forma gratuita e sem coerção. Trata-se de doar um tempo a uma boa causa, especificamente a fim de ajudar uma organização, sua comunidade ou um indivíduo com quem você não está relacionado. As pessoas que se envolvem nesse tipo de atividade são conhecidas como voluntárias.

Um voluntário é uma pessoa que espontaneamente doa seu tempo e energia a fim de ajudar a promover uma boa causa ou ajudar uma organização a funcionar de forma mais eficaz.

Por exemplo, você descobre que uma escola em sua comunidade não possui um número suficiente de professores. Então você decide ajudar a ensinar as crianças dessa escola três vezes por semana gratuitamente. Ou você e seus amigos decidem trabalhar para uma empresa social sem receber remuneração em troca. O que você acaba de fazer é chamado de voluntariado.

A ideia de doar a si mesmo em benefício dos outros tem suas origens nos primórdios da vida africana em sociedade, que possuía uma forte base normativa e moral. Diferentes palavras são usadas em diferentes culturas para descrever essa ideia. Uma dessas palavras é kujitolea, palavra do idioma kiswahili para serviço, e que significa doar a si mesmo em benefício dos outros. Um conceito semelhante, ubuntu, derivado da cultura bantu, é citado para ilustrar as origens históricas da ajuda mútua e do apoio na promoção da humanidade (botho/ubuntu). Da mesma forma, em Botsuana, vários termos são usados ​​para descrever esse ethos, incluindo boithaopo, que descreve o voluntariado e se refere ao ato de ajudar outras pessoas; tirelo (algo que é feito em favor dos outros); ou go thusa batho, que simplesmente significa ajudar aos outros. As crenças e práticas culturais tradicionais incentivam a responsabilidade, a solidariedade e a reciprocidade coletivas; essas ideias foram fundamentais para expressar a humanidade de um indivíduo através de suas relações sociais com os outros.

A ideia atual de serviço prestado por jovens também pode ser atribuída a práticas culturais onde os jovens foram organizados em grupos com base em sua faixa etária. Eles foram mobilizados para a defesa da comunidade e o desenvolvimento de infraestrutura através de atividades como a construção de estradas, que era popular entre o povo Igbo da Nigéria e também no Quênia. Em alguns casos, essas práticas continuam a sustentar os princípios dos programas nacionais de serviços prestados por jovens em toda a África. Um outro exemplo é a prática tradicional, em alguns países meridionais da África, como Zimbábue, de trabalhar nas plantações daqueles que não são capazes de cuidar de suas lavouras devido a eventualidades externas como doença e morte. Zundera Mambo representa uma prática antiga de voluntariado de acordo com a qual os membros de uma aldeia se voluntariam para trabalhar nas plantações de seus vizinhos durante um dia por semana.

O voluntariado também foi facilitado por organizações nacionais e internacionais que contribuíram de maneira significativa para o desenvolvimento africano e a construção das nações durante o período pós-independência. Em resumo, o serviço e o voluntariado em favor do bem público — moldado por convicções culturais, valores e práticas que apoiam o parentesco, a ajuda mútua e a reciprocidade que contribuíram consideravelmente para a coesão social das sociedades individuais — têm uma longa história na África.

O voluntariado pode ser realizado de diferentes maneiras. Aqui estão alguns tipos de voluntariado:

  • Voluntariado comunitário consiste em ser voluntário em programas formalmente estruturados, bem como aqueles estruturados informalmente. É realizado em âmbito local e envolve prestar serviço às pessoas que vivem em circunstâncias semelhantes às dos voluntários e fornecer ajuda, cuidados e apoio.
  • Voluntariado internacional, que se expandiu como resultado do aumento dos fluxos de movimento e comunicação entre povos e países. Esse tipo de voluntariado envolve um movimento em grande parte composto por pessoas que se voluntariam em um país diferente de sua terra natal.
  • Voluntariado profissional abrange o voluntariado realizado por indivíduos habilidosos e o voluntariado realizado por pessoas empregadas como parte de um programa de responsabilidade social corporativa (RSC) de uma empresa. Os voluntários aposentados também estão incluídos nessa categoria.

Graças ao poder da tecnologia, você não precisa estar presente fisicamente em um lugar para fazer contribuições significativas. Por meio de habilidades relevantes, você pode ser voluntário em projetos ou em organizações in absentia, ou seja, sem estar presente. Por exemplo, embora você necessite estar fisicamente presente para realizar uma campanha de conscientização rural ou uma campanha de sensibilização, sua localização é irrelevante se você se voluntariar como escritor, designer gráfico ou mesmo publicitário de mídias sociais. Seu trabalho pode ser feito on-line, desde que você tenha acesso à internet. Isso significa que o voluntariado pode ser o mais flexível possível tanto para o voluntário quanto para a causa.

Community Growth,

Community Service,

Joy of Volunteering,

Português,

Volunteerism,

YALIServes